LÁGRIMA SERTANEJA

Autor: Genésio Cavalcanti Seja Bem Vindo Ao Blog - Ser Poeta : »
Veja

‎- No coração do homem sertanejo, não há medo nem segredo, sua vida nasceu marcada, pela eterna seca que abrange a estrada. No mar de terra do sertão, falta água, falta pão, mas no credo e adorado rosário, não lhe falta amor nem devoção. E quando essa lagrima sertaneja, caudalosa de tristeza, no olhar que brilha e implora aos quatro cantos da natureza, cai mirrada simplesmente evapora. Se acaso parti o triste homem pra tão longe, tão distante, fica a mulher no jardim da esperança, regando o eterno silêncio da solidão, esperando que outras fronteiras traga de volta o seu coração. Se a chuva não molha o chão pela natureza do destino no mar de terra do sertão, se atormenta todo povo nordestino, falta água, falta pão.


Genésio Cavalcanti
Palmares, hoje e sempre!

Deixe seu comentário

    Obrigado!

    Obrigado!

    Agradeço por sua presença nessa
    viagem que fizemos juntos...
    Espero outras vezes navegarmos,
    neste mesmo sonho!

    Curta Nossa Poesia