PRISIONEIRO

Autor: Genésio Cavalcanti Seja Bem Vindo Ao Blog - Ser Poeta : »
Veja

As tardes dos dias de alegria, se misturavam ao nosso prazer. Você dançando em meus braços e eu colado no seu corpo sem medida, sem compasso. Se penso em você, foge o tempo no pensamento e as lembranças se multiplicam como vício, como tormento, cadê seu abraço? Seus beijos tão ardentes, as carícias em nossos corpos, tantos toques impertinentes, desejo sem precedente! E agora eu me vejo um prisioneiro do desejo, como vída sem existência, uma planta de bonsai, quebranto que procura encanto, como droga que não satisfaz. E agora só me resta retalhos de outros tecidos, barulho em fim de festa, outras bocas sem nenhum sentido, teus beijos, teu sorriso, teu corpo, nunca mais!

Genésio Cavalcanti
Palmares, hoje e sempre!

Deixe seu comentário

    Obrigado!

    Obrigado!

    Agradeço por sua presença nessa
    viagem que fizemos juntos...
    Espero outras vezes navegarmos,
    neste mesmo sonho!

    Curta Nossa Poesia