UM AMOR CHAMADO ANGEL

Autor: Genésio Cavalcanti Seja Bem Vindo Ao Blog - Ser Poeta : »
Veja


(...) Hoje, o tempo acordou minhas lembranças...
Era início de uma estação chuvosa e de ventos frios
O cotidiano levava-me para um dia sem mudanças
E logo cedinho da manhã, como fazia todas as manhãs
Cuidava das flores perfumadas do jardim de nossa casa
Quando um dia, um cheiro diferente misturou-se no ar...
Era um cheiro suave, mesmo assim eu podia senti-lo
A certa distância, pois exalava um perfume a me encantar
Que mulher usaria um perfume com aquela fragrância
Tão delicada, fina e atrativa aquela hora da manhã?
Não resistindo, quis logo saber quem dele fazia uso...
Ao deparar-me com ela, senti meu corpo estremecer
Meu rosto ruborizou, ali diante de mim toda exuberância...
E se me perguntassem de onde ela haveria surgido
Eu não saberia responder, só sei dizer que era um anjo
Um anjo de carne e osso de pele clara e de meigo olhar
Por mais que eu tentasse daqueles olhos, não pude desviar
Senti pulsar mais forte os batimentos do meu coração
A partir daquele dia, impreterivelmente, no mesmo horário
Eu ficava por detrás das roseiras a espreitar a ocasião...
Contava no relógio cada minuto, até sentir seu cheiro
Misturar-se ao cheiro das flores abrindo-se em botão!
O encanto aumentou ainda mais quando fomos apresentados:
"Muito prazer, encantada, meu nome é Angel, e o seu?"
Demorei alguns segundos para finalmente responder...
E respondi perguntando-lhe: "quer namorar comigo?"
A cada dia vivíamos os sonhos mais lindos de amor
Até que num belo dia de verão, sem palavras pronunciadas
Todo aquele amor, acabou como num passe de mágica
Sem despedidas, sem brigas nem ofensas
Amor não é feito de ciúmes nem de incoerências...
E hoje você é apenas a lembrança das promessas
Que nos canteiros das flores um dia juramos as pressas!

Genésio Cavalcanti
Palmares, hoje e sempre!
Preserve os direitos do autor!

Deixe seu comentário

    Obrigado!

    Obrigado!

    Agradeço por sua presença nessa
    viagem que fizemos juntos...
    Espero outras vezes navegarmos,
    neste mesmo sonho!

    Curta Nossa Poesia