UM AMOR E NADA ALÉM...

Autor: Genésio Cavalcanti Seja Bem Vindo Ao Blog - Ser Poeta : »
Veja


É final de tarde de outono...
As luzes da cidade começam a acender
E fico olhando daqui da vidraça da janela 
As pessoas caminharem apressadamente
E eu as percebo tristes, solitárias, cabisbaixas
É como me sinto nesse exato momento...
Ainda atordoado pela falta que você me faz!
E minha imaginação te procura amiúde entre as pessoas
No afã que você apareça a qualquer instante...
E é esse desejo que me mantem grudado à janela
Dia e noite sempre movido por essa longa espera!
E pensar que foi aqui que vivemos a mais linda
História de amor das nossas vidas!
Conhecemo-nos em uma pracinha aqui em frente...
Era um final de tarde primaveril, a esta mesma hora
O nosso primeiro encontro foi meio desajeitado...
Nos esbarramos aleatoriamente e apenas nos fitamos
Chovia uma chuva fina, a praça escorregadia...
E cada vez que tentávamos desviar um do outro
Acabávamos outra vez nos esbarrando...
Uma, duas, três vezes... Até que parei
E olhando pra você, falei: "olá, acho que o destino
Quer que caminhemos juntos e na mesma direção!
Ela sorriu e falou: " também estou achando"
Logo eu que nunca acreditei em amor à primeira vista...
Entretanto, seus olhos amendoados, seus cabelos negros
Seu sorriso contagiante, fez com que eu mudasse de opinião...
A partir daquele dia, tudo mudou em nossas vidas...
Éramos jovens, bonitos, felizes e apaixonados
Inexoravelmente, o amor entre nós aconteceria...
Gostávamos praticamente das mesmas coisas:
Dos mesmos filmes dos mesmos livros, das mesmas músicas...
Estudávamos o mesmo curso, comungávamos as mesmas idéias
Entre nós, tudo se encaixava perfeitamente!
Daqueles finais de tarde, nunca esquecerei...
E toda essa recordação, me faz lembrar nossa primeira vez:
Estávamos nervosos, ansiosos, nossos corpos frêmitos, arrepiados
Procurávamos incessantemente, suplicantes por amor!
Deliramos juntos e ao mesmo tempo até descortinarmos
No céu, o azul do seu lindo amanhecer!
O ciúme maltrata, dilacera, faz agonizar até matar o amor...
E com o nosso amor, não poderia ser diferente...
Hoje vivo das lembranças e a cada minuto uma nova esperança...

Genésio Cavalcanti
Palmares, hoje e sempre!
Preserve os direitos do autor!

Deixe seu comentário

    Obrigado!

    Obrigado!

    Agradeço por sua presença nessa
    viagem que fizemos juntos...
    Espero outras vezes navegarmos,
    neste mesmo sonho!

    Curta Nossa Poesia