A FÚRIA DO RIO

Autor: Genésio Cavalcanti Seja Bem Vindo Ao Blog - Ser Poeta : »
Veja



( Dedico este poema-canção a todos àqueles
que como eu foram vitimados por essa tragédia!)

Nem mesmo a fúria desse rio
Consegue abrandar meu amor
Mas o que ninguém podia imaginar
É que o rio que banha a cidade...
De repente, virasse um grande mar!
O rio lambendo toda a cidade
Sem medida, sem direção
A água pulando a janela
Arrastando tudo dentro dela
Causando dor, angústia, devassidão!
Tão feroz derrubou nosso telhado
Com a velocidade de um tufão
Sucumbiu a foto no porta-retrato
Ruiu parede e o nosso chão
Sacrificando pessoas e animais
Minha pérola do Una...
Minha princesa, princesa dos canaviais
Tantos dias e noites na escuridão
Uma família sem casa, sem albergue
Corpos trêmulos de medo e frio
No pensamento um grande vazio
E por um fio na ponta de um iceberg
E nessa tempestade tenebrosa
Só me sobrou a alegria de viver!
Pois nem mesmo uma grande tragédia
Me faria perder a vontade...
De continuar a amar, sorrir e querer!

Genésio Cavalcanti
Palmares, hoje e sempre!
Preserve os direitos do autor!

Deixe seu comentário

    Obrigado!

    Obrigado!

    Agradeço por sua presença nessa
    viagem que fizemos juntos...
    Espero outras vezes navegarmos,
    neste mesmo sonho!

    Curta Nossa Poesia