QUANDO VOCÊ NÃO ME QUIS MESMO ASSIM FUI FELIZ!

Autor: Genésio Cavalcanti Seja Bem Vindo Ao Blog - Ser Poeta : »
Veja



Quando você não me quis
Mesmo assim fui feliz
Até confesso que sofri
Mas em pouco tempo...
Em dado momento te esqueci
Pois ao raiar de um novo dia
Soava aos meus ouvidos
Toda linda poesia...

Ai eu me pergunto:
O que seria de mim, o que seria do mundo?

Sem os versos de Cora Coralina
Sem a bossa de Elis Regina
Sem a genialidade do mestre Cartola
Pixinguinha e o argumento de Paulinho da Viola
Sem a poesia de Manoel Bandeira
Sem a Nau de Ascenso Ferreira

Sem Tom Jobim, Edu Lobo, Baden Powell
Noel, Jamelão, Mangueira , carnaval
O poeta Vinícius de Moraes...
Que me perdoem as feias
Mas beleza, é fundamental

Ai eu me pergunto:
O que seria de mim, o que seria do mundo?

Sem os gols do rei Pelé
Sem os dribles desconcertantes
Do outro gênio, chamado Mané
Sem Beethoven e a quarta sinfonia
E a sua genialidade, onde fica?
Sei lá, nem Freud explica!

Aquela época fora marcada
Pelo silêncio da mordaça
Ai apareceu música de protesto
Com estilo bem sútil
Chico Buarque, Caetano e Gil
João Bosco era especialista
Salve o bêbado e a equilibrista

E quando era bem cedinho da manhã
Ao ouvir Lua Gonzaga dedilhar na sanfona
Os lamentos da seca no sofrido sertão
Meu pensamento viajava trazendo à tona
Todo ensinamento daquele homem
Na simplicidade do chapéu de couro e gibão
Cantando encantava todo país
Com muito forró, xaxado, coco e baião

E no cinema quando ela aparecia...
Pernas à mostra no cavado maiô
Eu ficava inquieto, suspirava de alegria
Vendo minha musa Brigitt Bardott
Não foi trivial a obra de João Cabral
Clássico e sempre divina
Morte e vida Severina!

Menino de engenho, Os Sertões
O Cortiço, Iracema O Alienista
O Ateneu e o censurado Feliz Ano Novo
Rubem Fonseca, engrossava a lista
Viva a sociedade Alternativa
Raul Seixas, Paulo Coelho
O Trem das Sete, O Alquimista.

E hoje você me chama
E diz que ainda me ama
Mesmo sabendo de minha fama
Se todas as mulheres que eu quis
Dando o melhor do meu prazer
Eu as levei pra cama
E mostrei como se ama...

Quando você não me quis
Mesmo assim fui feliz!

Genésio Cavalcanti
Palmares, hoje e sempre!
Preserve os direitos do autor!

Comentários .

  1. Anônimo

    Saudosista, contemporâneo, mas assim é o amor, a dor e a paixão. Trazem no passado, no presente e muito provavelmente no futuro, o calor e a saudade do amor. Não sei, se minha interpretação de seu poema está correta, mas foi o que senti, quando estava lendo.

Deixe seu comentário

    Obrigado!

    Obrigado!

    Agradeço por sua presença nessa
    viagem que fizemos juntos...
    Espero outras vezes navegarmos,
    neste mesmo sonho!

    Curta Nossa Poesia