A PÁTRIA QUE ME PARIU (Palmares Pátria Mãe)

Autor: Genésio Cavalcanti Seja Bem Vindo Ao Blog - Ser Poeta :
Veja



A pátria que me pariu,
Ainda dorme calmamente!
Mas, no campo verdejante
Sem perder tempo, hora
Plantou no meu peito
A mais perspicaz semente.

Cresceu, brotou e floriu,
Expandiu-se mundo afora.
E como um turbilhão
Navegando na sua fluente,
Inebriado pela força do Rio
Declama o amor docemente. 

A pátria que me pariu,
Estupefata arregala os olhos
Ao ver em seus filhos o brio,
A garra, o amor e a felicidade
Que estampa-se nos rostos
De homens e mulheres da cidade!
 
A pátria que me pariu,
Tem cheiro doce de mel!
Tem matuto, camponês,
Tem povo limpo, decente.
Tem cabelo, tem olhares
Sorrisos, bocas displicentes.

A pátria que me pariu,
Tem certas discrepâncias.
Tem gente culta, modesta,
Tem poetas, tem frases...
Tem gente ignóbil, aventureira.
Tem mulher de rimas e fases.

A pátria que me pariu,
Tem povo sincero, hospitaleiro!
Tem teatro, cinema, arte.
Tem cultura popular.
Tem homem, moça, menino
Carregando bacamarte!

A pátria que me pariu,
É a mais bela das Atenas:
Luzes, praças, poder!
Berço de lutas, de histórias.
De engenhos, Quilombolas,
De amores, sonhos, novenas!

Genésio Cavalcanti 
Palmares, hoje e sempre! 
Preserve os direitos do autor!

Deixe seu comentário

    Obrigado!

    Obrigado!

    Agradeço por sua presença nessa
    viagem que fizemos juntos...
    Espero outras vezes navegarmos,
    neste mesmo sonho!

    Curta Nossa Poesia